sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Dão licença?

Dão-me licença que eu não goste do Dia dos Namorados?
É que eu bem me contorço, bem tento, mas não consigo gostar. Eu até podia dizer que é por causa do abuso de consumismo, que o amor deve ser festejado todos os dias, e não num dia só do ano, mas não, o meu problema é outro, e eu passo a explicar.

O meu problema é, exactamente, a felicidade dos outros! É isso, chamam-me cruel mas tanto amor no ar provoca-me má disposição geral. Ele é coraçõezinhos, florezinhas, musiquinhas...por tooooooodo o lado!! Até a minha adorada quintinha (farmville no facebook) foi invadida por ovelhas apaixonadas e cartinhas de amor. E eu lá tenho de ir atrás da festa...contrariadíssima, claro está.

E inventarem um dia dos solteiros? Isso é que era! Não sei muito bem o que iríamos festejar, mas era mesmo só para meter nojo aos outros, desgraçados, que têm de levar com o insensível do marido, ou a metediça da mulher.

E comentam as pessoas: “Tu tens é inveja, oh pindérica!”

Quanto a isso só tenho uma coisa a dizer: “É verdade, sim senhor”.
Tanto a inveja, que por sinal até é pecado (ainda bem que eu não almejo chegar a santa), como a referência à minha “pinderiquice”. Sou pindérica, de alma e coração...é que isto de estar sozinha, não mata, mas mói.

Haja Alegria, ALICE

Sem comentários: