sexta-feira, 30 de abril de 2010

Quem me leva de volta?

Eu sei que esta coisa dos Açores já foi há quase um mês mas o estado de preguicite aguda em que vivo apoderou-se finalmente de todos os aspectos da minha vida, até mesmo, escrevinhar umas parvalheiras.

(Existe a palavra "escrevinhar"? E "parvalheiras", existe?)

...Moving on...

Eu até tinha todas as intenções de provar que estive mesmo nos Açores com uma foto maravilhosa da Lagoa das Sete Cidades, mas a verdade é que nem eu sei muito bem se estive mesmo lá.

É que do tempo que lá estive só era possível enxergar ISTO:




Oh larilas....não se via um palmo à frente do meu pobre e enorme nariz. Juro que quando cheguei lá em cima larguei uma pequena lágrima de tristeza.

Mas pronto, não foi tudo mau....vi as vacas (muitas vacas), e principalmente a calçada!
Sim, a calçada....porque andamos que nos fartamos, até me sair o dedinho grande do pé pelo sapato fora.

Enfim, diverti-me a valer, mas vim embora só com uma convicção: Vou ter de voltar um dia!


E mais não digo porque..."What goes on Açores, stays on Açores...".....(ou qualquer coisa parecida com isto...ouvi num filme e sempre quis dizer. eheheh).

RITA

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Here We Go

E neste momento estou eu a fazer uma modésta mala para apenas 3 dias e meio...mas que vai carregadinha de vontade de sair!!!

E lá vou eu, e mais 19 mulheres (upa upa), a caminho dos Açores para três dias repletos de despreocupações. Pelo menos assim espero, porque isto de juntar 20 mulheres no mesmo espaço durante 72 horas é, no mínimo, um risco para Alerta Laranja!!

Toca a tirar o Traje Académico do fundo do baú (com sorte não tem bolor) e pimbas...é preparar a garganta para as cantorias e para o álcool. Não sei se a minha alma aguenta, mas que estava mesmo a precisar de uns diazinhos, estava.

E durante três dias não vou pensar que estou desempregada ou que sou uma solitária...Vou apenas gozar e aproveitar isto:


RITA

sábado, 3 de abril de 2010

Como chove...


Isto de estar desempregada não é só coisas más. Há que procurar sempre o lado positivo das coisas, mesmo que ele esteja muito bem escondidinho.


Hoje, por exemplo, acordei e deixei-me ficar na minha cama, enroladinha no quentinho do meu refúgio, simplesmente a disfrutar da chuva a cair torrencialmente lá fora...


Não tinha onde ir, nem comprimissos, nem horários...nada. Podia simplemente "deixar-me estar" a ouvir a chuva bater na vidro da janela.


Digam lá que isto não é um dos prazeres da vida...
RITA